Mundo bate recordes diários de novos casos e de mortes por covid

 

São espantosos os números de novos casos de contágio por covid-19 e de mortes a ele atribuídas que estão sendo registrados no mundo todo nos últimos dias.

Na sexta-feira, 20, foram 662.957 novos casos da doença. O recorde anterior era de 660.429, no dia 13. A média da semana chega a ser quatro vezes superior à dos meses de abril e maio, ápice anterior de contaminação.

As mortes verificadas no dia 20 somam 11.136; o recorde até agora foi na véspera, dia 19: 11.239 óbitos em um dia. A média da semana é o dobro da do período mais grave verificado anteriormente. A proporção perante a população é de 177,6 mortes por milhão de habitantes.

Há 58.337.219 casos registrados no mundo, tendo resultado em 1.384.343 mortes.

O total de recuperados é de 40.391.353 e os pacientes em tratamento são 16.561.323.

Brasil

No Brasil, o total de casos chega a 6.020.164, resultando em 168.687 mortes. O total de recuperados soma 5.422.102 e os pacientes em tratamento são 429.375.

Na proporção da população, são 791 óbitos por milhão de habitantes. Nesse critério, o Brasil é agora o nono do mundo com maior índice. Havia chegado a ser o quinto, mas com o recrudescimento dos casos e mortes na Europa e na Argentina, outros países assumiram essa triste liderança. São estes os oito países onde houve mais mortes proporcionalmente à população: Bélgica, San Marino, Peru, Andorra, Espanha, Itália, Argentina e Reino Unido. Todos que negligenciaram os cuidados depois que a pandemia havia sido controlada passaram a ter maus resultados. Na Argentina, por exemplo, os casos estavam bem controlados até o fim de julho. Quando a economia do país não suportava mais ficar com tudo tão fechado, os controles foram afrouxados. Como resultado, os casos e mortes cresceram significativamente dali em diante.

Comentário

Os números do mundo demonstram que não fazem sentido os comentários de que, por causa das eleições municipais, os números estariam sido escondidos no Brasil. Está havendo mesmo uma nova onda de casos no mundo todo, independentemente de haver ou não eleições. Entre os candidatos à reeleição no Brasil, havia e há prefeitos de todos os partidos. Os dados são compilados pelo Ministério da Saúde a partir dos boletins dos hospitais. A situação é realmente grave. Quem tiver juízo e respeito ao próximo continuará tomando todos os cuidados. O vírus não escolhe classe social, nem escolaridade, nem cor.

Valdir Carleto