Pazuello agradece China por liberação de insumos para fabricação da vacina

 

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, agradeceu ao embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, após o avanço nas negociações entre os dois países que permitiu a liberação de 5,4 mil litros de insumos para fabricação da vacina contra a Covid-19 no Brasil pelo Instituto Butantan, em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Em carta enviada ao diplomata, Pazuello citou as reuniões realizadas desde dezembro de 2020 para garantir a importação da matéria-prima.

“Agradeço, em especial, os esforços feitos por Vossa Excelência para alcançar tal resultado positivo, em seguimento à exitosa reunião que mantivemos em 20 de janeiro, por videoconferência. A disposição da Embaixada da China no Brasil em colaborar com nossa gestão para acelerar o processo de exportação de insumos referentes a vacinas já havia sido manifestada em encontros prévios entre nossas equipes. Registro, em especial, reunião entre assessores meus e diplomatas chineses realizada 23 de dezembro passado”, disse o ministro.

A matéria-prima da Coronavac está prevista para chegar ao Brasil até o fim desta semana. O processo de liberação junto ao governo chinês do insumo da vacina da AstraZeneca/Oxford, que será fabricada no País pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), também está acelerado e deve ocorrer em breve. No agradecimento, Pazuello também destacou o apoio dado pela China no enfrentamento à pandemia no Brasil.

“Não posso deixar passar esta oportunidade para ressaltar tudo que a China já fez pelo Brasil, doando equipamentos de proteção individual e insumos de saúde desde o início da pandemia, e tudo que sei que ainda fará pelo Brasil, assegurando o fornecimento continuado de ingredientes farmacêuticos ativos para manter o cronograma da vacinação no Brasil”, ressaltou.

Nesta segunda-feira (25/01), o embaixador Yang Wanming já havia exaltado os esforços dos governos brasileiro e chinês para garantir a liberação dos insumos: “O lado chinês está disposto a continuar a fortalecer a cooperação com o lado brasileiro no combate à pandemia”, afirmou em carta enviada à Pazuello.

A chegada da matéria-prima é mais um passo dado pelo Ministério da Saúde para garantir a produção e o envase de vacinas contra a Covid-19 no Brasil, ampliando, assim, a imunização dos brasileiros e brasileiras de forma simultânea e gratuita.

Confira o documento na íntegra