Movimento pela Saúde faz sugestões de combate à covid em Guarulhos

 

Um manifesto, assinado por representantes de diversas entidades e movimentos sociais, foi endereçado ao prefeito Guti e ao secretário municipal de Saúde, José Mário Stranghetti Clemente, contendo sugestões que visam combater as consequências da contaminação de pessoas pela covid-19. Vários signatários são identificados como fazendo parte de movimentos de oposição à atual administração municipal, embora outros sejam considerados neutros e até aliados.

Entre as recomendações, estão a de fazer contratações emergenciais de pessoal e a de utilizar espaços vagos de hospitais públicos e particulares como áreas emergenciais de atendimento de pacientes.

Algumas dessas sugestões já têm obtido respostas informais do secretário, segundo o qual não há disponibilidade de profissionais de Saúde no mercado de trabalho, nem de equipamentos que pudessem ser instalados em locais improvisados, o que inviabilizaria a nova montagem de um hospital de campanha.

Outro item contraria medida emergencial tomada dias atrás pela Secretaria da Saúde, que foi a utilizar duas UBSs para dar retaguarda a pronto-atendimentos de covid. O Movimento defende que todas as UBSs permaneçam atuando na vacinação contra a covid e no atendimento das demais enfermidades da população.

Segue a íntegra do manifesto:

(Obs.: os pontos assinalados em negrito são do texto original, que está sendo postado aqui sem revisão).

Excelentíssimos Senhores Prefeito de Guarulhos Gustavo Guti e Secretário de Saúde Dr. José Mario Stranghetti Clemente:

Diante da tragédia sanitária e social que estamos vivendo, com milhares de pessoas adoecendo e morrendo, com falta de leitos, de equipamentos e de profissionais para o atendimento, tanto dos doentes de COVID como os acometidos por outras doenças, e somando-se a isso o aumento do desemprego, da miséria, da violência e da vulnerabilidade social, o Movimento de Saúde de Guarulhos entende que é hora de somarmos nossos esforços para salvarmos vidas e sairmos dessa situação desesperadora. Por isso, propomos as seguintes medidas urgentes e indispensáveis:

1 – FORMAÇÃO DE UM COMITÊ DE CRISE

Ninguém é dono de toda a verdade. Como dissemos anteriormente, é hora de somarmos. Propomos a formação de um amplo Comitê, integrado pelos representantes da Prefeitura, da Câmara Municipal – situação e oposição, do Conselho Municipal de Saúde, do Conselho Municipal de Assistência Social, do Conselho Municipal do Idoso, do Conselho Municipal de Educação, do Movimento de Saúde, dos Sindicatos, dos profissionais da saúde, das Igrejas e das associações de moradores, para discutir e encaminhar as medidas necessárias para o enfrentamento da crise. Esse Comitê de crise procuraria formar um comitê científico para assessorá-lo.

2 – CONTRATAÇÃO EMERGENCIAL DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE

Além de estarmos com falta de profissionais, principalmente médicos, enfermagem e fisioterapeutas, a maior parte daqueles que estão trabalhando estão esgotados. Sabemos da dificuldade em contratar nesse momento. Para atrair profissionais, faz-se necessário oferecer uma gratificação, através de Lei, estendida a todos os que já estão trabalhando. Um empenho especial deve ser feito para trazer de volta aqueles profissionais que trabalharam no HMU, no HMCA e no Hospital dos Pimentas, e que não estão mais trabalhando nem na Prefeitura nem nas O.S. que fazem a gestão dos hospitais municipais..

Entendemos que nessa situação emergencial a prefeitura não está impedida de jcontratar pelos limites estabelecidos para a contratação de pessoal. O bem maior que a Constituição protege é a vida, e precisamos desses profissionais para salvar vidas!

3 – CAPACITAÇÃO INTENSIVA DOS PROFISSIONAIS PARA ATENDIMENTO A COVID

A sobrevivência dos pacientes, principalmente dos mais graves, depende muito do conhecimento e do treinamento da equipe que atende. A prefeitura precisa providenciar essa capacitação urgentemente, e de forma intensiva, tanto para os funcionários da Prefeitura como para os funcionários das O.S.

4 – ABERTURA DE NOVOS LEITOS DE ENFERMARIA E DE UTI

Esses novos leitos não devem ser disponibilizados em UBS e Centro de Especialidades! Pois o município já conta com um número insuficiente desses equipamentos, que têm uma função importantíssima a cumprir mesmo nesse período de pandemia. As UBS devem intensificar a vacinação, o atendimento a gestantes e crianças, o acompanhamento das pessoas com doenças crônicas, e ainda a testagem e o primeiro atendimento das pessoas com sintomas leves de COVID. Os Centros de Especialidades devem intensificar os atendimentos aos diabéticos, hipertensos, cardiopatas, pessoas com problemas de tiroide, pessoas com dores, pessoas que precisam de curativos especiais,  etc., além de atender as pessoas com sequelas da COVID.

Com urgência é possível instalar leitos de enfermaria na tenda já montada ao lado do HMU, como foi feito no ano passado. E leitos de UTI numa ala do HMU que já foi usada para isso, onde também funcionou a psiquiatria. Mas esses leitos devem ser atendidos por equipes da Prefeitura, e não da O.S. que faz a gestão do Hospital.

Também com urgência é possível viabilizar leitos de enfermaria e de UTI no Hospital Stella Maris que tem vários andares não utilizados. Se necessário, a Prefeitura deve Intervir no Hospital, para integrá-lo à luta contra a COVID.

Entendemos que esses leitos também podem e devem ser montados em CEUs, escolas, ginásios esportivos, etc.

Deve-se urgentemente viabilizar a implantação de mais leitos de UTI e de enfermaria no Hospital dos Pimentas, usando espaços vazios no prédio. E também o uso das instalações do Hospital da Mulher e do CEU São Domingos, ambas construções ainda não acabadas mas que podem ser adaptadas para uso emergencial.

5 – PAGAMENTO DE UM AUXÍLIO EMERGENCIAL ÁS FAMÍLIAS SEM RENDA

As medidas de isolamento social só serão efetivas se as pessoas tiverem pelo menos o indispensável para a sobrevivência. A Cidade de São Paulo já está pagando esse auxílio. É urgente que se faça o mesmo em Guarulhos, complementando o valor que vai ser pago pelo Governo Federal.

6 – MEDIDAS DE APOIO AO PEQUENO EMPRESÁRIO E COMERCIANTE

O pequeno empresário depende do seu negócio para sustentar a sua família, e algumas vezes pagar uns poucos funcionários. Não adianta obriga-los a fechar as portas, sem garantir a continuidade do seu negócio. A prefeitura tem que buscar formas de incentivar o comércio local e proteger o pequeno comerciante.

7 – INTENSIFICAR A FISCALIZAÇÃO DAS MEDIDAS RESTRITIVAS

A Prefeitura, com o apoio da GCM, tem que intensificar a fiscalização, principalmente nos bairros, impedindo o funcionamento de bares, festas, bailes funk, etc.

Sendo todas medidas urgentes e indispensáveis, esperamos uma pronta resposta de Vossas Excelências!

Atenciosamente,

Guarulhos, 24 de março de 2021

Assinam este documento:

Fórum Permanente de Saúde de Guarulhos
Expedito Targino de Lima

Forum Permanente Leito é Direito – maca não é lugar de internação
Silvio Assis da Silva

Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional do Estado de São Paulo – CREFITO-3
Rosirene leme Beraldi Gottardi

Sindsaúde – Guarulhos e Região
Wilson Galdino da Silva

Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região – Força Sindical
Elenildo Queiroz Santos

Sindicato dos Trabalhadores na Administração Municipal – STAP
Rogério de Oliveira

Sindicato dos Químicos de Guarulhos
Antônio Silvan Oliveira

Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos
Maciel
Ivanildo

Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região
Sara Cristina Lee Soares

Sindicato dos Professores e Professoras de Guarulhos – SINPRO Guarulhos
Thiago

APEOESP Sindicato dos Profesores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo – Guarulhos
Ozani Martinniano
Marcelo Souza

Educadores em Luta
Eliane de Fátima Zacarias Delfiol

Fórum Popular de Educação
Zélia de Brito

União dos Aposentados, Pensionista e idosos de Guarulhos
João Odair Barreto

Frente Povo sem medo
Valter Fontes

Comissão de Direitos Humanos da OAB/Guarulhos
Flavia Mendes

Fórum de Defesa da Criança e do Adolescente
Núbia Lima C. dos Reis
Afonsina Gomes Araújo Silva
Sonidelane Mesquita
Roselito Santos Silva
Neiva Abadia Fernandes
Janete Reis das Graças
Cleide Maria de Souza
Antônio Brandino dos Santos
Adriana Oliveira

Conselho Nacional do Laicato do Brasil – CNLB – Diocese de Guarulhos
José Luiz                   

 – Equipe da Campanha da Fraternidade da Diocese de Guarulhos
Milene Negreiros

Conselheiro Municipal de Saúde
Antônio Ferreira Lapa

Conselheiro Municipal de Saúde
Bento Barros

Conselheira Municipal de Saúde
Lúcia Helena de Oliveira

Conselheira Municipal de Saúde
Maria Lúcia Peniche Vaz

Conselheira Municipal de Saúde
Maria da Conceição Tardim

Conselheira Municipal de Saúde
Aparecida Salete Zanziani Thomazini