“Dos cortiços à luz” é o segundo filme da série “Guarulhos, letras de uma cidade dormitório”

 

Nos fundões de Guarulhos, Grande SP, surge uma literatura que resgata a memória de uma cidade construída pela migração, encontros e desencontros e a força de um povo que, com suas próprias mãos, ergueu uma vida. Essa é a ideia da série “Guarulhos, Letras de uma Cidade Dormitório”, idealizada pela Editora Letras do Subsolo e produzida pela Companhia Bueiro Aberto.

O projeto apresenta cinco filmes que retratam cinco obras escritas por autores guarulhenses: O Ofício do Poeta, de Júnior Bezerra; Dos Cortiços à Luz, de Renato Queiroz; Ilusão do Parafuso, de Daniel Neves; Poemas de Amor e Luta, de Thiago Loreto; e Histórias do Córrego, de Daniel Neves. Todavia, a linguagem do cinema tem autonomia em relação à literatura, de maneira que novos personagens, anônimos, se integram às narrativas, como Dona Ana, moradora do bairro Cabuçu; Dona Erô, migrante nordestina; e Dona Irene, filha de imigrantes espanhóis.

Segundo o diretor Daniel Neves, “todos nós somos formados de estórias, lembranças que constroem nossa luta e identidade. Essa série busca na vida os personagens retratados nos livros. Obviamente é uma metáfora, pois as obras são ficcionais, porém encontram sua confirmação no mundo real. Assim, acabamos por descobrir novas estórias que provam que Guarulhos não é apenas uma cidade dormitório, mas um município com uma grande memória e riqueza cultural”.

Para Renato Queiroz, produtor da série, “a produção dos filmes foi muito interessante pelos encontros que o processo proporcionou. Conhecer pessoas, suas trajetórias, suas jornadas, é também conhecer o chão que pisamos e entender que somos produto de um processo histórico que se resume às diversas estórias que escutamos de nossos ancestrais.”  

A Companhia Bueiro Aberto já tem um trabalho de resgate da memória da cidade de Guarulhos, sobretudo os bairros periféricos, buscando um cinema popular e poético. O grupo vem amadurecendo cada vez mais, tanto sua pesquisa como a qualidade técnica de suas obras.

O primeiro episódio foi “O ofício do poeta”, lançado em 20 de março, baseado no livro homônimo de Júnior Bezerra.

O  segundo episódio  é o documentário “Dos cortiços à luz”, baseado no livro homônimo escrito por Renato Queiroz.

O romance conta a vida de Paco, personagem que sintetiza diversas pessoas que inspiraram o autor, sendo a maior delas sua avó, Dona Irene, filha de pai espanhol e moradora de um cortiço ocupado por migrantes no bairro do Carandiru.

Depois, já em Guarulhos, morando no Jardim Tranquilidade ainda nos anos 50, trabalhou como operária na antiga fábrica da Phillips e como enfermeira no hospital Stella Maris.

Dona Irene é uma pessoa anônima, mas ao mesmo tempo ilustre. Suas mãos foram umas das milhões que formaram a cidade como ela é, mas com a marca de sua individualidade, de seus valores de empatia, solidariedade e humanidade.

O documentário estreia no dia 3 de abril no canal da Companhia Bueiro Aberto no YouTube, projeto financiado pelo Funcultura, com recursos da lei Aldir Blanc.

O livro “Dos cortiços à luz” está disponível para compra nas páginas da Editora Letras do Subsolo e da livraria Ashes bookeria no Instagram.

SINOPSE

Quantos imigrantes europeus chegaram ao Brasil no século XX, empobrecidos pelas crises e pelas guerras? Quantos desses formaram a força de trabalho de nosso país, junto a nordestinos, africanos, japoneses, etc? O Brasil é o mundo todo.

Dona Irene, filha de espanhóis, é casada com Dadivar, cearense. ambos construíram suas vidas e contribuíram com sua comunidade em Guarulhos, Jardim Tranquilidade, passando por todo período de urbanização e deixando para as gerações seguintes um mundo novo, cheio de oportunidades e histórias para a poesia de suas vidas.

Dos Cortiços à Luz inspira-se nessas passagens das vidas de anônimos tão ilustres que fizeram de suas trajetórias as letras que preenchem nossos livros.

FICHA TÉCNICA

Direção e Roteiro: Daniel Neves

Produção: Renato Queiroz

Fotografia e som direto: Janaina Reis

Mídias: Diego Andrade

Montagem e Edição: Daniel Neves

Trilha Sonora:  Renato Queiroz e Diogo Fonseca

Redes sociais:

Instagram:

@companhiabueiroaberto

@letrasdosubloso

YouTube

https://youtube.com/channel/UC7L448UpthdA4x08GJ7tgdw