quarta-feira, 8 dezembro 2021
- PUBLICIDADE -
InícioCIDADESAÚDECovid: não vacinados têm 16 vezes mais risco de morte, diz estudo

Covid: não vacinados têm 16 vezes mais risco de morte, diz estudo

Pessoas não vacinadas contra a Covid-19 têm 16 vezes mais probabilidade de precisar de UTI (unidade de terapia intensiva) ou morrer pela infecção, aponta relatório do estado Nova Gales do Sul (NSW), na Austrália, que inclui pedidos de autoridades à população para que se vacine. O país, que acabou de passar por restrições sociais após alguns casos confirmados, começa a voltar à rotina, com flexibilizações.

Os dados do departamento de saúde do estado, divulgados na noite de segunda-feira (8), mostram que apenas 11% de 412 pessoas que morreram no surto da variante Delta, ao longo de quatro meses até o início de outubro, foram totalmente vacinadas. A idade média dessas vítimas era 82 anos.

Cerca de 3% das pessoas que precisaram de UTI receberam duas doses de vacina, enquanto mais de 63% dos 61.800 casos detectados entre 16 de junho e 7 de outubro foram de pessoas não vacinadas.

“Jovens com duas doses de uma vacina experimentaram taxas mais baixas de infecção e quase nenhuma doença séria, enquanto os não vacinados nessa faixa etária passaram por maior risco de desenvolver Covid-19 e precisaram de hospitalização”, disse Kerry Chant, diretor de saúde de NSW, em uma demonstração.

As descobertas do relatório estavam de acordo com os dados do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos), que informou, em setembro, que indivíduos não vacinados tinham 11 vezes mais probabilidade de morrer por Covid-19 do que aqueles que foram totalmente vacinados.

A Austrália permaneceu praticamente livre do vírus neste ano até que um surto da variante Delta, em junho, levou a um bloqueio de meses em Sydney, Melbourne, as maiores cidades do país, e na capital, Camberra.

As cidades atingidas pelo vírus estão em processo de flexibilização das duras restrições depois de ultrapassar as metas de vacinação de 70% e 80%. A situação em Nova Gales do Sul, onde fica Sydney, parece ter se estabilizado depois que a cobertura da primeira dose atingiu quase 94% da população acima de 16 anos.

Mais da metade do total de 1.841 mortes na Austrália e cerca de 87% de seus quase 183 mil casos de infecção na pandemia são causados pela Delta. Porém, a taxa de mortalidade é menor do que no ano passado, graças ao aumento nas vacinações desde julho.

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,891FãsCurtir
1,510SeguidoresSeguir
1,500SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Réveillon 2022: cidades descartam festas, eventos ou shows

Prefeituras de ao menos 19 capitais brasileiras anunciaram cancelamento total ou parcial das festas de réveillon por conta da Covid: Aracaju, Belém, Brasília, Campo Grande, Cuiabá, Florianópolis, Fortaleza,...

Governo atende Comitê Científico e mantêm exigência de máscara em espaços abertos

O governador João Doria decidiu nesta quinta-feira (2) atender recomendação do Comitê Científico para manter a exigência do uso de máscara em espaços abertos...

Argentina detecta primeiro caso da variante Ômicron

A Argentina detectou nesse domingo (5) o primeiro caso da variante Ômicron do vírus SARS-CoV-2, em um um cidadão que regressou de uma viagem de trabalho à...

Ministra do STF libera execução das emendas do relator

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nessa segunda-feira (6) liberar o pagamento dos recursos das chamadas “emendas do relator” relativas ao...

EUA registram 1º caso da variante ômicron, que já está em mais de 20...

Os Estados Unidos registraram, nesta quarta-feira (1º), o primeiro caso de Covid-19 ligado à variante ômicron do coronavírus, informou o Centro de Controle e Prevenção de Doenças...