PUBLICIDADE
InícioDESTAQUEAdolescente de 16 anos com suspeita de febre maculosa morre em Campinas

Adolescente de 16 anos com suspeita de febre maculosa morre em Campinas

Publicado em
PUBLICIDADE

O Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) informa que uma adolescente de 16 anos, com suspeita de Febre Maculosa, morreu na noite da última terça-feira (13). A jovem residia e estava internada em Campinas.

Ela frequentou o mesmo evento que o piloto e empresário, Douglas Pereira Costa, 42 anos, residente em Jundiaí, a sua namorada, a dentista Mariana Gioardano, 36 anos e uma mulher de 28 anos, que tiveram o óbito confirmado para febre maculosa, realizado em uma fazenda na região de Campinas no final do mês passado.

Dados dos últimos 2 anos

 

Em 2023, foram registrados 12 casos de febre maculosa com 6 óbitos, incluindo os três confirmados desde segunda-feira (12) em todo o Estado. Em 2022, foram registrados 53 casos, com 37 óbitos confirmados. Já em 2021, foram 76 casos e 42 óbitos.

Sobre a doença

A febre maculosa é uma doença infecciosa causada por uma bactéria transmitida através da picada de uma das espécies de carrapato, ou seja, ela não é transmitida diretamente de pessoa para pessoa pelo contato e seus sintomas podem ser facilmente confundidos com outras doenças que causam febre alta.

Há no estado duas espécies da bactéria causadora da doença. Na região metropolitana da capital, há pouquíssimos registros dada a urbanização da área. No interior do estado, a doença passou a ser detectada a partir da década de 1980, nas regiões de Campinas, Piracicaba, Assis, nas regiões mais periféricas da região metropolitana de São Paulo e no litoral, mas em uma versão mais branda. Os municípios de Campinas e Piracicaba são, hoje, os dois que apresentam o maior número de casos registrados da doença. O tratamento é realizado com antibiótico específico.

Orientações

A Secretaria de Estado da Saúde reforça que as pessoas que moram ou se deslocam para áreas de transmissão estejam atentas ao menor sinal de febre, dor no corpo, desânimo, náuseas, vômito, diarreia e dor abdominal e que procurem um serviço médico informando que estiveram nessas regiões para fazer um tratamento precoce e evitar o agravamento da doença.

*Com Informações da Secretaria de Estado da Saúde

Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais
28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,683SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever
PUBLICIDADE

Últimas publicações

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE