PUBLICIDADE
InícioCANAISJUDICIÁRIOiFood assina TAC com MPF após tentar desmobilizar entregadores

iFood assina TAC com MPF após tentar desmobilizar entregadores

Publicado em
PUBLICIDADE

Um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado na última sexta-feira (7), pela empresa de entrega de comida iFood com o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Trabalho (MPT) visa a promoção de ações em favor dos direitos trabalhistas e do respeito ao direito de informação da população. A medida ocorre em decorrência de reportagem da Agência Pública que revelou que o iFood contratou as agências de publicidade Benjamim Comunicação e a Promove Serviços de Propaganda e Comunicação (Social QI) para desmobilizar movimento dos entregadores. Os profissionais reivindicavam melhores condições de trabalho. O TAC também foi assinado pelas agências.

Segundo a reportagem, as agências contratadas criaram perfis falsos e se passavam por entregadores do iFood para questionar nas redes sociais as reivindicações dos trabalhadores. A matéria foi base para uma investigação do MPF.

 

O TAC prevê obrigações do iFood para assegurar a liberdade sindical e os direitos de greve e de negociação coletiva dos entregadores.

Obrigações

O iFood deverá ainda financiar pesquisas e projetos, no valor de R$ 6 milhões, que analisem as relações de trabalho com entregadores, o mercado publicitário e de marketing digital, e a responsabilidade social dos controladores de plataformas.

Segundo o TAC, o iFood ficará proibido de divulgar, pelos próximos seis meses, anúncios, propagandas e campanhas publicitárias sobre supostas medidas adotadas pela empresa para promoção de direitos fundamentais e trabalhistas.

O iFood informou que cumprirá os termos do TAC. “Celebramos o acordo porque as obrigações assumidas pelo iFood no TAC estão alinhadas com nossos valores e princípios, em especial a promoção de um ambiente de maior transparência nas redes sociais, o respeito ao direito de manifestação e de associação dos entregadores e o investimento em pesquisas que colaborem com o desenvolvimento sustentável do país”, disse, em nota, o diretor jurídico da empresa, Lucas Pittioni.

O iFood destacou, em nota enviada pela assessoria de imprensa, “que não cometeu qualquer uma das condutas investigadas”.

As agências de publicidade Benjamim Comunicação e a Promove Serviços de Propaganda e Comunicação (Social QI) foram procuradas, mas ainda não se manifestaram.

*Com Informações da Agência Brasil

Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais
28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,683SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever
PUBLICIDADE

Últimas publicações

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE