PUBLICIDADE
InícioCIDADEGuarulhos está na posição 1.525 entre 5.570 cidades no Índice de Desenvolvimento...

Guarulhos está na posição 1.525 entre 5.570 cidades no Índice de Desenvolvimento Sustentável

Publicado em
PUBLICIDADE

O município de Guarulhos aparece em posição relativamente positiva no Índice de Desenvolvimento Sustentável de Cidades Brasileiras (IDSC-BR), resultado de amplo levantamento elaborado pelo Instituto Cidades Sustentáveis, com a dupla função de auxiliar as cidades a medir seu desempenho segundo os objetivos da ONU, bem como de permitir uma série de análises que vão além dos limites municipais. Guarulhos está na posição 1.515, como índice 50,29, entre 5.570 cidades do País. A primeira colocada é São Caetano do Sul (SP), com índice 63,42. A última é Buriticupu (MA), com índice 29,79.

Porém, em comparação com outras cidades grandes, Guarulhos poderia estar muito melhor. Por isso, conhecer os fatores que levaram a essa posição no ranking é fundamental para buscar corrigir distorções e melhorar o desempenho em uma próxima avaliação. “Oferecer as ferramentas necessárias para os municípios brasileiros superarem esse desafio é uma das grandes ambições do Índice de Desenvolvimento Sustentável das Cidades – Brasil (IDSC-BR), uma iniciativa do Instituto Cidades Sustentáveis (ICS), no âmbito do Programa Cidades Sustentáveis (PCS)“, diz o site da entidade.

 

Fatalmente, há situações que podem ter sido medidas de forma imprecisa pela instituição. Por exemplo, no Objetivo 12, “Produção e consumo sustentáveis”, Guarulhos aparece com índice baixo (40 a 49,99) e um dos fatores apontados como negativo é a “população atendida com coleta seletiva”, quando, na realidade, a cidade inteira é servida pelos caminhões da coleta seletiva. O que falta nesse quesito é a conscientização da população para aderir à separação do que é reciclável, o que é resíduo que pode ir para compostagem e o que é rejeito; esse último item, sim, é que deveria ir para o aterro sanitário. Tem-se informação de que apenas 4% de todo o lixo de Guarulhos é reciclado e, ainda assim, graças à participação dos condomínios (3%), porque nas residências avulsas o índice é de mero 1%.

Para fazer frente a esse quadro de desinformação da população, a Administração Municipal precisa investir em educação ambiental, a começar pelas crianças, já que é mais difícil mudar hábitos da população adulta. Ainda que o resultado não chegue a curto prazo, se estará dando condições para que gradativamente a situação mude para melhor nesse quesito.

O IDSC-BR pretende gerar um movimento de transformação na gestão pública municipal. A intenção é orientar a ação política de prefeitos, definir referências e metas com base em indicadores e facilitar o monitoramento dos ODS em nível local. Há um índice para cada objetivo e outro para o conjunto dos 17 ODS, de modo que seja possível avaliar os progressos e desafios dos municípios brasileiros para o cumprimento da Agenda 2030, de modo geral, e para cada objetivo que ela estabelece, em particular.

Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Classificação de cada ODS para pontuação das cidades

Para conferir como Guarulhos foi classificada em cada ODS e quais os fatores que influíram na pontuação: https://idsc.cidadessustentaveis.org.br/profiles/3518800/indicators/.

Agenda 2030 e ODS

A Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) surgiram em 2015 como um grande pacto supranacional para o enfrentamento dos principais desafios globais. Foi assinado por autoridades dos 193 Estados-membros da Organização das Nações Unidas (ONU), incluindo o Brasil.

Com o propósito de promover universalmente a prosperidade econômica, o desenvolvimento social e a proteção ambiental, a Agenda 2030 trata de questões que requerem a participação ativa de todos – governos, sociedade civil e setor privado. No entanto, o aspecto abrangente e integrado dos 17 objetivos e 169 metas, necessário para estabelecer um conjunto de ações para países com realidades muito distintas, trouxe um desafio a mais para as cidades de modo geral, no Brasil e no mundo.

Afinal, como implementar e levar os ODS para o nível local, onde as mudanças, políticas e investimentos também são fundamentais para o seu cumprimento? Como traduzir os compromissos definidos pela ONU em metas e indicadores monitoráveis, capazes de serem medidos e comparados ao longo do tempo, de modo que se possa acompanhar e avaliar a sua evolução?

Por meio do PCS, o Instituto atua de forma propositiva para a implementação de políticas públicas estruturantes nas cidades brasileiras. O programa oferece uma agenda de sustentabilidade urbana que inclui metodologias, ferramentas e conteúdos de auxílio à gestão pública municipal, incluindo um conjunto de 260 indicadores alinhados aos objetivos e metas da Agenda 2030. Esse material está disponível na Plataforma Cidades Sustentáveis.

Para conferir a posição de cada cidade no ranking: https://idsc.cidadessustentaveis.org.br/rankings/

Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE
Redes Sociais
28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,683SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever
PUBLICIDADE

Últimas publicações

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE