Sabesp responde queixas de má qualidade do tapa-buracos

A Comunicação da Sabesp enviou resposta a questionamentos enviados pelo Click Guarulhos, referentes a diversas queixas relativas à qualidade do serviço de tapa-buracos, executado por empresas terceirizadas. Um dos mais emblemáticos casos foi a da avenida Brigadeiro Faria Lima, altura do número 320, onde o mesmo serviço foi refeito três vezes na mesma semana.

Perto dali, na esquina da rua Vasco Queiroz Guimarães com rua Professor Ângelo Castrucci, um recapeamento feito na tarde de segunda-feira, dia 17, já estava deteriorado na manhã de quinta-feira.

Na avenida Guarulhos, um reparo que foi executado atendendo a demanda enviada pelo Click Guarulhos também teve de ser refeito dias depois (foto em destaque).

RESPOSTA DA SABESP

“A Sabesp informa que a reabertura da vala na avenida Brigadeiro Faria Lima foi necessária devido a um vazamento não visível na rede de água em outro trecho da via, causando o solapamento do pavimento. Como o local estava encharcado, foi preciso substituir o solo, reconstituir a base do pavimento e aplicar a capa asfáltica.

No caso da avenida Guarulhos, também havia vazamento não visível de água. O caso foi resolvido depois de ser feita uma pesquisa acústica para localizar o problema.

É importante destacar que a massa asfáltica utilizada pela Sabesp na recomposição de pavimentos obedece a todos os padrões estabelecidos nas normas técnicas vigentes.”

REITERAÇÃO

Em nova mensagem à Comunicação da Sabesp, a Reportagem do Click Guarulhos reiterou que, na opinião de inúmeros internautas que têm entrado em contato com o portal, é visível que a qualidade dos consertos que têm sido feitos em Guarulhos pela contratada Red Pavimentação obrigará que sejam refeitos logo em seguida.

Por exemplo, internauta enviou vídeo reclamando do trabalho que acabara de ser feito na rua Professor Ângelo Castrucci, no Bom Clima. E, de fato, como mostra a foto, o resultado foi ruim. Recomenda-se, portanto, que a Sabesp intensifique a fiscalização sobre os serviços das empresas terceirizadas, pois é o nome da Companhia estadual que está prejudicado perante a opinião pública.