Prefeito da Capital esclarece que abertura no dia 1o. não será automática

São Paulo SP 31 01 2020-O Governador do Estado de São Paulo João Doria durante coletiva de imprensa sobre o coronavírus. Foto:Sergio Andrade
 

Segundo informações do site da Revista Exame, o prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), esclareceu na manhã desta quinta-feira que não será automática a reabertura de estabelecimentos comerciais na Capital, apesar de autorizada pelos critérios do governo estadual.

Reproduzimos texto do site da Exame:
“Segundo o prefeito, a partir da próxima segunda-feira, 1, a Prefeitura começará a receber das associações dos setores que serão autorizados a voltar a funcionar as propostas de protocolo. A cidade está inserida na fase dois do programa estadual, que permite a reabertura, com restrições, de imobiliárias, concessionárias de veículos, escritórios, comércio e shopping centers.”

Segundo Covas, os pré requisitos que os setores precisam apresentar para a Prefeitura são: protocolos de saúde, higiene, testagem, regras de autorregulação, regras para fiscalização, política de comunicação das regras e proteção aos consumidores e funcionários.

Enquanto isso, prefeitos da Região Metropolitana de São Paulo, como Guti (PSD), de Guarulhos, e Orlando Morando (PSDB), de São Bernardo do Campo, manifestaram estranheza com a decisão do Estado. Permitindo que o comércio de São Paulo funcione, mesmo com restrições, parece lógico que consumidores dos municípios ao redor se deslocarão para a Capital, prejudicando o alcance do índice desejado pelo próprio Covas e ampliando as possibilidades de contágio de mais pessoas.