Prefeitura terá de colocar toda a frota de ônibus em circulação

 

Tendo em vista a necessidade de evitar aglomeração no transporte coletivo e a consequente contaminação pelo novo coronavírus, o Tribunal de Justiça de SP determinou, em 29 de junho, que em até dez dias a Prefeitura de Guarulhos coloque em circulação nas linhas municipais de ônibus 100% da frota das empresas concessionárias.

A informação foi divulgada pelo site Diário do Transporte, incluindo confirmação da Prefeitura de que iria atender a determinação. O Click Guarulhos pediu à Assessoria de Imprensa da Prefeitura a confirmação. Eis a resposta:

“A Prefeitura de Guarulhos recebeu na noite de segunda-feira (dia 29) decisão liminar que determina o retorno de 100% da frota do transporte público à atividade. Isso será feito, cumprindo a determinação da Justiça, em um prazo de até dez dias, pois existem funcionários (motoristas) com contratos suspensos. As empresas já estão buscando se readequar ao momento para operarem com capacidade máxima. Atualmente a frota opera com 65% do seu total, com reforço em horários de pico, nas linhas de maior demanda, que chega a 100%.” 

Linhas metropolitanas



Usuários vêm se queixando também da falta de ônibus nas linhas intermunicipais, gerenciadas pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), ligada ao governo estadual. Muitas reclamações devem-se à eliminação de algumas linhas que ligavam Guarulhos a São Paulo e que foram suprimidas porque a Prefeitura de São Paulo tem o poder de vetar itinerários em sua malha viária.

Segundo o mesmo Diário do Transporte, prefeitos da região do Alto Tietê estiveram na EMTU, pleiteando a volta de linhas suprimidas, e a direção da empresa voltou a responsabilizar a Prefeitura da Capital pela decisão.

Estranhamente, a mesma fonte informa que duas linhas de Osasco, sendo uma com ponto na Lapa e outra na estação Armênia, puderam voltar a operar, ainda que com apenas um ônibus cada uma.

Com a reabertura dos bares e restaurantes, bem como de academias em São Paulo, enquanto as mesmas atividades continuam suspensas em Guarulhos, fatalmente aumentarão o fluxo de passageiros nos ônibus entre as duas cidades, tanto por causa de consumidores quanto de pessoas que trabalham nesses setores, o que deve complicar ainda mais o problema de superlotação nos coletivos, se a frota dessas linhas colocada em operação não for também ampliada.

foto: Márcio Lino/PMG