“Live” das Faculdades Guarulhos irá debater sobre vacinas

 

As Faculdades Guarulhos promovem, na terça-feira, dia 27, das 19h30 às 20h30, pelo Youtube, uma “live” com o tema “Novos normais: vacinas e fake news. Afinal, as vacinas são seguras ou podem trazer algum problema para a saúde?

A live tem como objetivo esclarecer diferentes mitos que foram construídos sobre vacinas e trazer os aspectos científicos que estão envolvidos no desenvolvimento delas.

Participam as professoras mestras Raquel Maria Rodrigues, Inda Lages Nascimento e Valquíria Marques Ramos, a qual atuará como mediadora. Veja ao final o currículo de cada uma.

O tema em discussão

A professora Inda Lages Nascimento informa que as revistas cientificas de maior impacto no mundo vêm publicando diversos estudos sobre um fenômeno global conhecido como Negacionismo Científico. “Essa manifestação social é definida como a recusa de conceitos básicos, incontestáveis e apoiados por consenso científico, em favor de ideias sem embasamento ou evidências metodológicas. O fenômeno tem impacto direto na forma como a sociedade encara o modelo civilizatório que construiu durante os últimos séculos de existência da nossa espécie”, comenta.

Arthur Lupia, professor de ciências políticas da Universidade de Michigan, aponta que quando as pessoas estão procurando indícios sobre determinado assunto para compor sua percepção do tema em questão, nem sempre são movidas pelo desejo de encontrar a resposta mais factualmente precisa; em vez disso um dos principais focos é o da proteção da autoestima e do “castelo de cartas” que estrutura suas crenças já preestabelecidas. Os exemplos são muitos, e vão da negação da existência de uma pandemia de covid-19 à ideia de que as mudanças climáticas não têm nenhuma relação com a má interferência do homem na natureza.

Segundo Inda, ainda não sabemos o que estamos enfrentando, pois precisamos compreender o que esses movimentos negacionistas têm em comum em termos de perfil cognitivo de seus integrantes, características sociodemográficas, repertório comportamental e identidade coletiva. A comunidade científica vem travando uma luta dispendiosa para encontrar respostas. “Dispendiosa porque remaneja esforços que deveriam estar sendo utilizados em projetos científicos de melhoria da experiência de vida humana. Ao que tudo indica, posições negacionistas existem há bastante tempo, porém, têm obtido projeção exponencial a partir do uso disseminado das redes sociais”, diz ela. Indivíduos que antes não encontravam eco em seu entendimento deturpado de mundo, agora possuem uma espécie de palanque digital endossado por companheiros negacionistas que legitimam as percepções do grupo, em um ciclo de reforçamento mútuo.

A mestra afirma que o exemplo, talvez, mais grave, é o de um grupo que se autodenomina Anti-Vax, cuja força aumenta a cada dia que passa. “O Brasil, sendo exemplo de negligência da importância da alfabetização científica, inclusive com raízes históricas, se mostra um terreno fértil para o progresso do movimento. Em 2019, antes da pandemia tomar forma, a OMS já apontava o movimento antivacina como uma das 10 maiores ameaças para a saúde mundial. A psicologia tem contribuição central nessa luta, pois é ela a responsável por compreender o perfil psicológico de pessoas imersas em tais convicções, além de dar luz a como esses movimentos alcançam tantas pessoas, mesmo indo contra dados irrefutáveis”, conclui Inda Lages Nascimento.


QUEM É QUEM NA LIVE DE TERÇA-FEIRA

Profª Me. Valquíria Marques Ramos – mediadora

Mestre em Psicologia da Saúde pela Universidade Metodista de São Paulo (2002). Especialista em Psicodiagnóstico de Rorschach. Pós-graduação em Gestão Escolar pela Universidade Cândido Mendes. Pós-graduação em Administração de Empresas pelas Fundação Getúlio Vargas (FGV). Atualmente, é professora da graduação nas Faculdades Guarulhos nos cursos de Psicologia, Enfermagem e Administração de Empresas. Tem experiência nas áreas de Gestão de Pessoas, Gestão Educacional e Gestão Organizacional. Atua também como psicóloga clínica. É coordenadora do curso de Psicologia e da Clínica-escola das Faculdades Guarulhos.

Profª Me. Inda Lages Nascimento

Tem mestrado em Neurociência e Cognição pela Universidade Federal do ABC (UFABC) com foco em pesquisas nas áreas de Psicofarmacologia, Cognição e Aprendizagem no Núcleo de Cognição e Sistemas Complexos. Foi editora da revista da Sociedade Brasileira de Neuropsicologia (SBNp) e representante regional no Piauí da mesma entidade durante os anos de 2012 a 2014. Tem graduação em Psicologia e especialização em Neuropsicologia. Ministra cursos e palestras em Neurociências. É professora universitária da FMU (Faculdade Metropolitanas Unidas), da FG (Faculdades Guarulhos) e da Faculdade Anhanguera.

Profª Me. Raquel Maria Rodrigues

Graduada em Ciências Biológicas e Pedagogia e mestre em Genética e Biologia Evolutiva pela Universidade de São Paulo. Professora de Ciências da Natureza e de Biologia na rede estadual de ensino desde 2005, atualmente atua como técnica de Educação das Relações Étnico-Raciais e Educação para Estudantes Migrantes Internacionais na Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. Professora do curso de Psicologia nas Faculdades Guarulhos desde 2016, nas disciplinas de Genética Humana, Fisiologia Geral, Neurofisiologia e Psicofarmacologia.

Segue o link para acessar a live