Falta de médico em UBS gera queixa; Prefeitura responde

 

O internauta Márcio dos Santos Porfírio, morador no Jardim Adriana, enviou ao Click reclamação quanto ao funcionamento da UBS Morros, situada na região do Cocaia e da qual depende numerosa população de vários bairros das imediações.

“A UBS está sem médico clínico-geral há mais de um ano e dois meses. Vale observar que a UBS Morros atende cerca de 57 mil prontuários ativos. Essa UBS contava com 2 médicos clínicos-gerais em seu quadro. Sendo que um se aposentou e outra se transferiu. Ficou um grave problema: muitos pacientes sem acompanhamento médico (o que é prejudicial para a pauta da saúde). Reitero que ocorrem apenas atendimentos esporádicos quando a UBS abre aos sábados, o que é muito tímido e não consegue atender a demanda. Esse problema de falta de médico na UBS Morros, que é grave e complexo, já acontece em outras UBSs; preocupante nas regiões mais periféricas”, informou didaticamente.

Enviado o questionamento à Prefeitura, a Assessoria de Imprensa respondeu:

“A Secretaria de Saúde informa que realizou concurso público em 2019, tendo efetivado a contratação de 12 médicos clínicos e que está em andamento novo concurso, com previsão de homologação para agosto deste ano. Além disso, vem realizando processo seletivo para contratação emergencial, iniciativa que possibilitou a contratação do médico que iniciou na unidade Morros em 01/03/2021.

Esclarece também que dos dois médicos que atuavam na UBS Morros, um está afastado por auxilio doença desde janeiro de 2020 e a outra se aposentou. Vale dizer que a Lei Complementar Federal 173, vigente desde 27/05/2020, somente permite reposição e, para tanto, a Secretaria tem adotado as medidas de abertura de concurso público e processos seletivos em andamento. Por fim, informa que quando necessário, a UBS Morros conta com o apoio da equipe da UBS Jovaia”.

Canal Vc Repórter

O Click Guarulhos disponibiliza o WhatsApp 11 98849-7425 para que os internautas enviem queixas, denúncias e sugestões. Caso a pessoas não queira ter seu nome divulgado, o sigilo da fonte é respeitado. Denúncias só não são publicadas quando não há provas e o denunciante não permite a divulgação de seu nome.